Fabricantes chineses estão desesperados com aumento de “cemitérios” de carros elétricos e onda de falência


Foto: Reprodução.

O setor automotivo chinês está passando por mudanças significativas devido à concorrência acirrada e à saturação do mercado. Nos últimos anos, a China viu um aumento notável no número de fabricantes de veículos elétricos (EVs), impulsionado por inovações tecnológicas e o desejo de liderar o mercado global. No entanto, de acordo com dados do portal Mobility Channel – MOCHA, a situação atual mostra um quadro bastante diferente, com um mercado saturado e uma guerra de preços que deixou muitos desses fabricantes em apuros financeiros, resultando em um cenário preocupante de “cemitérios” de carros elétricos abandonados em todo o país.

Cemitérios de carros elétricos chineses: uma realidade surpreendente Nas grandes cidades chinesas, é cada vez mais comum encontrar grandes áreas cheias de carros elétricos chineses abandonados, muitos deles ainda com placas de licença, indicando que foram comprados e registrados em algum momento. Este fenômeno intrigante levanta suspeitas de que pode ser um esquema. A maioria desses veículos foi adquirida por empresas de compartilhamento de carros, que aparentemente nunca tiveram a intenção de usá-los regularmente.

Início promissor e investimentos massivos dos chineses Há duas décadas, o governo chinês começou a investir pesadamente em veículos de novas energias, incluindo híbridos, elétricos e veículos a hidrogênio, na tentativa de acompanhar os fabricantes ocidentais. Este impulso resultou na criação de cerca de 500 fabricantes de EVs, um número insustentável a longo prazo. Com o aumento das exigências para obtenção de subsídios e a dificuldade em atingir volumes de vendas significativos, muitas dessas empresas começaram a enfrentar sérias dificuldades financeiras.

Falências em massa para os chineses Atualmente, estima-se que 90% das empresas que começaram com grandes expectativas praticamente não existem mais. A pandemia de COVID-19 e a subsequente crise econômica agravaram ainda mais a situação, levando a uma série de falências no setor. No último ano, o número oficial de fabricantes de EVs caiu para menos de 100, embora especialistas acreditem que o número real de empresas ativas seja muito menor.

Empresas promissoras, como a Letim, que há oito anos era vista como uma rival da Tesla, declararam falência recentemente. Outro exemplo é a Neutron, que também não conseguiu sobreviver à competição acirrada. A Evergrande New Energy Auto, parte de um conglomerado que investiu bilhões em carros elétricos, sofreu perdas massivas, perdendo 17 milhões de dólares por cada carro vendido. A WM Motor, que parecia promissora com um capital de 5,3 bilhões de dólares, também está em processo de reestruturação.

O futuro do mercado de carros elétricos na China O cenário futuro aponta para uma consolidação significativa no mercado de EVs chineses, com apenas alguns grandes players sobrevivendo à guerra de preços e às restrições do mercado. A diversidade inicial do setor está se reduzindo, e espera-se que mais falências ocorram até que restem apenas as empresas mais robustas e inovadoras.

Essa transformação no setor de veículos elétricos na China serve como um alerta para mercados emergentes e outros países que buscam seguir o mesmo caminho, evidenciando a importância de estratégias sustentáveis e realistas para o crescimento e sobrevivência a longo prazo.



Source link

Hot this week

Topics

spot_img

Related Articles

Popular Categories

spot_imgspot_img